09/01/2011

Benevolência.



Nunca tinha entendido aquela frase que até cortar os próprios defeitos era perigoso, pois nunca se sabe qual deles sustenta o edifício inteiro. Hoje passei a entender. A questão, era que tempos atrás, achava um defeito imenso, essa minha necessidade, vontade incessante de ter conhecimento de alguns ocorridos, essa minha curiosidade a procura de extirpação e todas essas minhas agonias de sempre querer saber mais aprofundamente sobre as coisas, de ir até o fundo do poço atrás dela, e sempre ter um sexto sentido perdurante, que sempre me vinha com fortes argumentos pra duvidar. Achei que o erro era comigo, que tava obssecada por determinados fatos, conteúdos, e que as vezes, chegava a julgar demais um acontecimento, levava muito a sério. O fato, era que ser assim, tão detalhista, minunciosa, me fazia mal, me trazia decepções, quando aquela verdade enfim, vinha a tona, e resolvia dar as caras. Percebi que eliminar esse defeito não é a solução. Porque, e quando te passarem a perna? Prefiro ser assim, do que ser desligada, besta, me sentir uma inútil. Curiosidade, sempre no maior patamar possível, detesto que me escondam algum mero detalhe, porque pode ser besteira pra quem fez, mas pra mim não.. Não gosto de ser poupada da verdade, ou muito menos, ouvir histórias distorcidas, quebradas, faltando trechos ou argumentos. Aprendi, que as vezes, você pode até não entender porque essa tua característica te faz tão mal, você tenta se livrar, mas o que ela faz, é só te perseguir, cada vez mais, obsessão pura, fantasiada as vezes, só pra te confundir, no fundo te amarrar, segurar firme, trancafiada as 7 chaves. Mil tentativas de se livrar dela, liberdade vislumbrada, tirar esse teu peso das costas, mas um dia, você vai achar alguma causa. Deus escreve certo por linhas tortas não é mesmo? Com certeza, essa sua característica mais defeituosa do que vantajosa, pode ser a tua base, pode ser o que te sustenta, carrega, teu alicerce, o que faz a diferença nessa sua personalidade e esse teu jeito único, só teu. Mistura de características herdantes, algumas que só vão se distorcer e serem descobertas sua essência, no final. Quem sabe daqui a um bom tempo. Enquanto isso, você continua lá, julgando todos os teus defeitos e tentando dá jeito, ao invés de se aceitar. Depois, aprende que o mais importante de tudo, é manter seu caráter, personalidade, se aceitar, se amar acima de tudo, assim como você é.

2 comentários:

  1. Posso dizer que concordo contigo. Não devemos esconder o que somos, e sim nos conhecermos realmente. Sendo analítica quado preciso, e crítica também. Mas nos amarmos acima de tudo. E sabe, só consegue quem se enxerga dentro, de verdade.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  2. Menina, não só adorei este texto, como me identifiquei! Pq eu sou assim!rsrsrs...tenho uma amiga que sempre me diz q sofro pq quero respostas e expicações pra td, pq vou em busca de verdades e sentidos pra td...ela diz pra eu deixar disso, que é pior pra mim...as vezes concordo que sim, é ruim, mas como negar a mim mesma?
    Quando li "Com certeza, essa sua carcteristica mais defeituosa, do que vantajosa, pode ser a tua base......algumas que só vão se distorcer e serem descobertas sua essência no final" me confortei!rs
    Parabens pelo texto! Adorei...e olha, qdo elogio não é só como agradecimento aos elogios que faz aos meus escritos não hein, vc manda mto bem! bjs e ateh a próxima!

    ResponderExcluir

O que achou do post?

GAROTA DA BOSSA
ALL RIGHTS RESERVED 2014 ©
feito por Madu Negrini