15/03/2011

Da boca pra dentro



- Eu só quero me casar com um cara maravilhoso, bom marido, bom pai, ter 3 filhos com ele, passar minha lua de mel em Paris, ter um cachorrinho, um apartamento na frente da praia, e passar em um bom concurso público. Sem contar nas minhas viagens pro exterior, quero uma a cada ano, no mínimo, e sempre levar meus filhos pra ir pra Disney.
- Acho que você devia parar dessa mania de querer controlar tudo, em primeiro lugar.
- Mas que mal faz em ter metas, objetivos, sonhos? Sei que isso é uma coisa tradicional, almejar tantas coisas boas como essas pra nossa vida, se planejar, mas é isso que eu quero, é isso que busco todos os dias, assim que fui ensinada.
- Você devia parar de programar sua vida e se concentrar no momento presente, procurar felicidade agora, e não ficar almeijando coisas futuras nem viver de passado, apesar de quão maravilhoso ele possa ter sido.
- Acontece que por eu vislumbrar esses horizontes positivos pro meu futuro, não quer dizer que eu não seja feliz agora também. Pra mim, a cada barreira que passo, é um degrau a mais pra concretizar esse meu objetivo, entende? Consigo tirar o bom proveito de tudo o que aparece no meu caminho, tudo como sendo aprendizagem.
- Mas toda essa tua vontade de querer sempre se refazer, recriar, a procura do mundo de sonhos que você leva como meta é o que acaba fazendo a confusão ai dentro. Acho que você devia deixar as coisas fluirem mais naturalmente. Não adianta tentar controlar toda a situação. Tudo sempre vai está em constante mudança, inclusive você.
- A questão é que apesar de toda a mudança que acontece dentro de mim, meus princípios nunca vão mudar. Mesmo que por víceras dilaceradas, corações palpitantes e uma agonia existencial aqui dentro, no final, eu sempre acabo superando tudo isso, é só uma fase.
- Mas é justamente por isso que tenho te encontrado tão esgotada ultimamente, engolindo a vida como quem come algo que não gosta, pra depois sentir náuseas, desgastada, como criança que não vê mais graça em palhaço.
- E eu me tornei tão sem sal a esse ponto?
- Na verdade, não. E é a cada sorriso teu que eu tenho a prova contrária. Deixa as coisas fluirem, o barquinho levar e ser feliz assim, sempre levando essa tua esperança berçaria de que tempos dourados para sempre serão presentes.

3 comentários:

  1. Acho que tu tens que deixar as coisas fluirem naturalmente, não deixar de pensar no futuro mas não pensar tanto a ponto de esquecer do presente.

    Belo diálogo! Adorei!


    Beijos

    ResponderExcluir
  2. adorei esse texto, que divino" "engolindo a vida como quem come algo que não gosta, pra depois sentir náuseas, desgastada, como criança que não vê mais graça em palhaço." mas é tão isso, não consigo deixar a vida me levar, eu quero controlá-la, eu preciso a ter em mãos, ter certezas. belíssimo. adorei os contra-pontos, muito bom, reflexivo. um beijo

    ResponderExcluir
  3. Lindo post, moça! Boa reflexão...parece uam armadilha não é? Apontar pro futuro e esquecer de viver o presente, mas sou teimosa e acho que sim,da pra conciliar não é?!rs...bjs

    ResponderExcluir

O que achou do post?

GAROTA DA BOSSA
ALL RIGHTS RESERVED 2014 ©
feito por Madu Negrini