24/06/2012

Nostalgia em folha


Porque numa estação, sou sempre eu a quem vai embora, deixando alguns com suas faces claramente tristes, uma amargura sem fim no coração e um saudade que sempre vai invadir. Pra poucos, claro. Sempre tem aqueles, que, por mais que seja de passagem essa trilhagem da nossa vida, não marcamos o suficiente pra continuar se perpetuando na saudade intensa dali a alguns anos. Outros que jamais te esquecerão. Não é fácil, nem aconselhável. Se mude de cidade, prédio ou escola, apenas quando for extremamente necessário, quando ainda não é independente, ou em caso, de melhores condições, novas aventuras, novas experiências, se essa for sua maior vontade. Perdi amigos, fiz outros, conservei os significativos, porém, aquela tristeza que carregava por perder alguns, tristeza mal correspondida, muitas vezes, deixei de lado. Passei a controlá-la e assim, conter algumas emoções que me batiam a porta quando a noite chegava. Aprendi a superar, e olhar as coisas de um novo jeito, a cruzar a linha de chegada, mesmo que com poucos ao meu lado, mas os essenciais. Porque a vida, pode não te dá tudo o que você quer, mas ela te dá o que você precisa. Basta a você, saber tirar bom proveito das coisas que lhe são cabíveis, e tirar felicidade, até mesmo das coisas pequenas. Poucos são os que vêem a beleza nos detalhes, mas são estes os que marcam. Um sorriso, a gargalhada na aula mais chata, o lençol furado por você e as amigas, e essas picuinhas pequenininhas, pouco significativas, para os que não estão aderidos a vocês. Porque eu aprendi a desenhar bons momentos numa folha de papel, e tomá-lo por base pra seguir minha vida, a pintá-la de cores coloridas, fortes, pra que eu nunca esqueça de viver intensamente. Aprendi a bordar a felicidade nesse meu desenho, pra nunca esquecer, que esses momentos, por mais simples que sejam, merecem sempre o meu sorriso, quando mais tarde relembrá-los, e aprendi principalmente, a criar um mundo, na qual barreiras não existem, distância não significa nada se há alguém que tá perto de você no coração, colado, estampado, num lugar que ninguém ousará arrancar. E se algum dia, um vento levar esse meu desenho pra longe, eu irei refazê-lo, cada vez mais bonito, carimbando sempre esse meu sinal de fé e esperança, que carregarei até o fim.

Um comentário:

O que achou do post?

GAROTA DA BOSSA
ALL RIGHTS RESERVED 2014 ©
feito por Madu Negrini